O que Diferencia uma Cerveja Artesanal das Cervejas Comuns?

Alguém que não está familiarizado com as cervejas artesanais pode perguntar “existe mesmo uma diferença entre cerveja artesanal a cerveja produzida pelas grandes cervejarias? Afinal, cerveja é cerveja, certo? ”. Para os apreciadores que estão por dentro da diversidade de estilos e cervejarias artesanais, tais questões são absurdas, porém, entender o desenvolvimento da indústria cervejeira pode ajudar a definir os motivos que levaram às cervejas artesanais a serem tão diferentes das cervejas de massa.

História

Antes da Revolução Industrial criar inovações na refrigeração, higiene e envase, os cervejeiros tinham dificuldade de estender a vida útil da cerveja, impossibilitando que ela pudesse ser enviada à regiões distantes. Após 1850, a expansão das ferrovias permitiu que eles transportassem a cerveja para regiões mais afastadas em um período mais curto de tempo.

No final dos anos 1800, a Budweiser foi a primeira cervejaria americana a pasteurizar sua cerveja e mantê-la refrigerada nos vagões de transporte.

Conforme as cervejarias conseguiram expandir seus mercados, começaram a aumentar em tamanho, e a reduzir em números. Por exemplo, em 1870, nos Estados Unidos, havia cerca de 4131 cervejarias. Esse número caiu para 1500 antes da lei seca de 1920. Apenas 353 reabriram após o término da lei, em 1933. A consolidação veio mesmo após a Segunda Guerra Mundial, com a força das propagandas de rádio e TV, criando marcas famosas em todo país.

Para essas marcas serem aceitas nacionalmente, elas tinham que agradar uma grande gama de gostos. O resultado disso foi a extinção das cervejarias locais e a homogeneização nas Lagers que temos até hoje.

O malte

O malte talvez seja a diferença mais perceptível entre cervejas artesanais e as cervejas de massa. As variedades de cevada americana diferiam muito das europeias. Os verões quentes e secos dos Estados Unidos e Canadá produzem uma cevada com uma maior quantidade de proteína que as produzidas nos climas mais frios e úmidos da Europa. Essa cevada com mais proteína garantia um maior nível de enzimas, adequada para o uso com insumos como milho e arroz. O uso desses grãos e outros como trigo, centeio, aveia, sorgo e painço é comum em todo mundo.

malt

O arroz e o milho, comumente encontrados nas cervejas de massa, contribuem para um sabor mais suave do que as cervejas maltadas. Isso pode explicar o motivo da preferência da maioria dos consumidores por esse estilo; eles cresceram, geração a geração, tomando isso! (cruzes rsrs).

Em contrapartida, as cervejarias artesanais usam, tipicamente, 100% malte, incluindo uma grande variedade de maltes especiais, dando mais cor e sabor às cervejas. Esse malte, muitas vezes torrado, dá, às cervejas artesanais, uma cor mais densa e aquele perfil maltado que inclui sabores como pão tostado, caramelo e café.

O lúpulo

O lúpulo contribui para o amargor. As cervejas artesanais têm duas ou mais vezes a quantidade de lúpulo que as cervejas de massa. Os ácidos amargos do lúpulo contrastam com o dulçor do malte, ajudando a balancear o sabor do produto final. Os óleos do lúpulo também adicionam um aroma condimentado ou floral, ausente nas cervejas de massa.

simcoe-hops

Além do lúpulo, as cervejarias artesanais podem usar outros agentes de sabor como especiarias e frutas. As Stouts podem ter sabor de café ou chocolate, Wheats podem ter cereja, morango ou framboesa e as Witbiers podem ter coentro e laranja.

A levedura

As cervejas de massa usam, praticamente, apenas a levedura Lager, que fermenta em uma temperatura baixa. Esse tipo de levedura foi desenvolvido na Alemanha e em países vizinhos, entrando em evidência nos anos 1800, quando as culturas de levedura foram isoladas e a refrigeração ficou disponível para resfriar a cerveja em processo de fermentação. Antes da refrigeração, as cervejarias usavam cavernas para armazenar e resfriar com gelo retirado de lagos, no inverno.

A levedura Ale, por outro lado, fermenta em temperaturas maiores e produz uma cerveja com aroma de fruta. Devido à menor necessidade de refrigeração e ao grande número de Lagers, as cervejarias artesanais focam nos muitos estilos de Ale, embora ambas leveduras sejam utilizadas.

O envase

As cervejarias de massa tradicionalmente filtram e pasteurizam a cerveja para aumentar sua validade e deixa-la mais clara.

A aparência da cerveja não era uma preocupação até a utilização do vidro nas canecas e copos. Logo, as grandes cervejarias perceberam que uma cerveja mais clara e cristalina era mais atraente para os consumidores, tornando a filtragem uma etapa obrigatória.

mug

A pasteurização foi o primeiro procedimento utilizado comercialmente para prevenir a cerveja de estragar. Entretanto, o calor necessário para a pasteurização pode alterar o sabor da cerveja e a filtragem pode remover algumas proteínas que estabilizam a espuma e contribuem para uma sensação agradável na boca. Isso não significa que cervejas filtradas e/ou pasteurizadas estejam danificadas, apenas que esses processos podem alterar suas características. Por esses motivos, as cervejas artesanais quase nunca são filtradas ou pasteurizadas.

A qualidade

Um estudante perguntou, certa vez a seu professor alemão, como pequenas cervejarias no entorno de Munique conseguiam fazer cervejas tão boas, utilizando métodos tão antigos. A resposta era simples: essas cervejas eram consumidas praticamente na porta das cervejarias! As cervejas eram vendidas apenas localmente, portanto, consumidas muito rapidamente para esses processos afetarem negativamente seu sabor.

Enquanto o termo “artesanal” pode ser percebido como sinônimo de qualidade, um entendimento melhor seria “cheio de sabor”. A grande diferença entre cervejas artesanais e as de massa está relacionada à receita. Para sermos honestos, as cervejarias comerciais escolheram um estilo mais brando, que agrada a um maior número de consumidores, e seu sucesso está amarrado à sua habilidade de reproduzir, de forma econômica e consistente, o sabor e a estabilidade de sua cerveja. A qualidade da cerveja artesanal é amplificada por uma área de mercado reduzida, sendo consumida rapidamente. Conforme elas expandem essa área, a preocupação com a qualidade aumenta. Consequentemente, o termo “qualidade” na indústria artesanal, é melhor descrito como um sabor robusto.

Então, qual é a resposta?

A cerveja, em suas muitas formas é, provavelmente, a bebida alcoólica mais antiga e difundida do mundo. Ela foi fonte segura de água potável e nutrição por centenas de anos e, hoje, é uma das bebidas mais naturais e inalteradas disponíveis.

Então, são as cervejas artesanais realmente diferentes? Nós diremos que sim, pois representam muitos estilos e técnicas que não são oferecidos pelas cervejarias de massa. Entretanto, as diferenças estão ligadas às preferências de seus mestres cervejeiros e ao grupo de consumidores que eles querem atingir. Seja qual for o segmento, o objetivo deve ser o mesmo: fornecer ao consumidor um produto natural de grande qualidade.

Compre online em http://www.cervejariavirtual.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s