A Escola Belga de Cerveja

A escola Belga, diferentemente da Alemã, não foi marcada por uma lei restringindo os ingredientes ou processos de produção. Por não ter pertencido ao Império Germânico, a Bélgica nunca foi submetida à Lei da Pureza de 1516 e tem a sua cultura cervejeira inalterada há séculos e é bastante diferente daquela encontrada na Alemanha.belgian_beers2

Na Bélgica, tudo aquilo que pudesse agregar sabor ou valor a cerveja era válido ser experimentado. Qualquer ingrediente era bem-vindo. Algumas cervejas não eram nem inoculadas com fermento, eram simplesmente deixadas para serem fermentadas espontaneamente por microrganismos presentes na atmosfera. A Bélgica e suas cervejas são marcadas pelos seus belos monastérios, cujos muitos deles até hoje produzem cerveja como produziram por séculos. Como a maioria destes que produzia cerveja se isolava da civilização e mantinha os conhecimentos cervejeiros quase como um segredo, cada fabricante propagava sua própria cultura, cada uma delas com características diferentes umas das outras encontradas em outros lugares. O que acarretava em cervejas completamente distintas feitas nos diferentes monastérios. Dentro do mundo das cervejas belgas, há sempre algo novo a se experimentar e nem sempre uma cerveja belga se enquadra perfeitamente a um estilo existente.

A Bélgica produz mais de 1500 rótulos diferentes, espalhados por seu pequeno território. Essa variedade foi uma consequência da taxação de impostos nas bebidas alcoólicas no país, ainda nos séculos XVI e XVII, que aumentava os valores de bebidas mais fortes como a vodca e o vinho.

A tradição se manteve até os dias atuais, permitindo que a Bélgica ofereça vários tipos de cerveja que agradam a qualquer tipo de paladar.

ESTILOS DE CERVEJAS BELGA

Trapistas

Apesar de Trapista não ser considerada um estilo de receita de cerveja, essas bebidas especiais são fabricadas em massa na Bélgica, já que o país abriga cinco dos 11 mosteiros fabricantes dessa bebida em todo o mundo.  (Já falamos um pouco sobre elas aqui: http://bit.ly/2abk1Q0). A La Trappe e a Chimay são bons exemplos de belgas trapistas.

Dubbel

As receitas de cerveja Dubbel são bem tradicionais no terreno belga. Elas fabricam uma bebida frutada, geralmente com aromas de ameixa ou banana, e com teor alcoólico um pouco mais alto do que as tradicionais (chegando a 7%). O uso do malte é forte nessa bebida, quase sem nenhum lúpulo. Bons exemplos são a Chimay Trappist Brune e a La Trappe Dubbel.

Tripel

As Tripel também são receitas típicas da escola belga, elaboradas com frutas cítricas como o limão e a laranja, que permitem sua coloração avermelhada, apesar de ser considerada uma cerveja mais clara. Seu teor alcoólico é relativamente alto, chegando a 7,5%. Alguns exemplos de rótulos de tripel são a Westmalle Tripel e a Gouden Carolus Tripel.

Quadrupel

Produzidas com fortes aromas de chocolate, café e algumas frutas, como a banana e a ameixa, o seu sabor é bem marcante e só agrada àqueles cervejeiros de paladar bem exótico — e o teor alcoólico pode chegar a 11,5% nessas receitas. Um bom exemplo de Quadrupel é a La Trappe Quadrupel.

Blonde

Os belgas são conhecidos por suas cervejas fortes e encorpadas, porém, as receitas de Blonde se aproximam muito das tradicionais Lagers e Pilsen fabricadas em todo o mundo. As blondes são cervejas claras, leves e aromáticas, muito fáceis de beber. Seu teor alcoólico não é muito alto, podendo variar entre 5 e 7,5%. Alguns exemplos de Belgian Blondes são a Leffe Blonde e a La Trappe Blonde.

Witbier

A witbier é a receita tradicional de cerveja belga elaborada com trigo. Ela se difere das cervejas alemãs de trigo por apresentar sabor mais refrescante e cítrico e, por esse motivo, costuma conquistar vários admiradores. A Vedett Extra White é um bom exemplo de Witbier.

Saison

As receitas de cerveja saison foram elaboradas por fazendeiros belgas durante os períodos frios para serem consumidas no verão europeu, por isso, elas são bebidas leves e fáceis de beber. Seu teor alcoólico é relativamente alto (podendo variar entre 6,5 a 10%).

Belgian Golden Strong Ale

Esse é um dos estilos mais tradicionais de cerveja belga, admirado em todo o mundo. As Belgian Golden Strong Ale apresentam um tom levemente avermelhado, sabor forte e marcante, graças ao uso de frutas e lúpulo em sua produção. O teor alcoólico dessas bebidas pode variar entre 6,5 a 8%. Alguns exemplos são a Duvel, a Delirium Tremens e a Leffe Royale.

Veja essas e outras cervejas belgas em http://www.cervejariavirtual.com.br

 

 

 

 

 

 

Fonte:

Texto adaptado de http://bit.ly/2axB65W

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s