O crescimento das Cervejarias Artesanais

5200218267_2215c03778_o (1)

Em 2014, pela primeira vez na história, a venda de cervejas artesanais superou as da Budweiser nos EUA, a terceira marca mais vendida no país. Dados de uma agência especializada no setor indicam que foram vendidos 16,1 milhões de litros de cervejas artesanais, contra 16 milhões da gigante norte-americana. Mas esse protagonismo das cervejas de qualidade é algo relativamente novo até no país mais poderoso do mundo.

Nos Estados Unidos, a lei seca perdurou durante 13 anos (1920 – 1933) e trouxe consequências terríveis para os apreciadores da cerveja. Muitos mestres cervejeiros abriram mão de suas fábricas e profissões e, quando a lei acabou, a grande indústria tomou conta do mercado em um monopólio que durou décadas.

Acontece que os anos 1970 marcaram o início de uma revolução silenciosa. Produtores caseiros começaram a fabricar cervejas tradicionais, de outros países ou épocas, que não podiam mais ser encontradas no mercado e das quais as vezes tinham apenas ouvido falar. Alguns desses aventureiros da cerveja resolveram levar o negócio a sério e abrir microcervejarias, que passaram a ter apoio de um público restrito que estava em busca de um produto de qualidade superior.

No Brasil, a história das cervejarias artesanais também é antiga, datada de 1924. Foi neste ano que a família Loeffler comprou uma pequena cervejaria e a renomeou como Canoinhense, a mais antiga cervejaria artesanal ainda em atividade no país. Acontece que daí para frente as grandes marcas de cerveja tomaram conta das prateleiras dos mercados com preços bastante acessíveis, e o brasileiro ficou com poucas opções para escolher.

Se o renascimento cervejeiro dos americanos aconteceu na década de 1970, o nosso teve início só um pouco mais tarde, na década de 1990, quando algumas cervejarias menores, como a Baden Baden e a Colorado, começam a alcançar certo sucesso. Nos anos 2000 a Wäls surge em Porto Alegre, a Eisenbahn em Blumenau, e diversas outras espalhadas pelo Brasil inteiro.

Os últimos anos marcaram um crescimento ainda maior das cervejas artesanais, e as vendas não param de crescer. Ainda que as grandes marcas sejam campeãs de consumo, esse sucesso relativamente recente das cervejas artesanais em solo brasileiro é prova de que existe aqui um público criterioso, disposto a pagar um pouco a mais para consumir produtos de qualidade.

A tendência, assim como ocorreu nos EUA, é que a quantidade de microcervejarias cresça cada vez mais – assim como o número de bares, lojas e supermercados com excelentes cartas de cervejas.

Leia mais: O aumento das microcervejarias no Brasil

Anúncios

Um comentário sobre “O crescimento das Cervejarias Artesanais

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s